Pular para o conteúdo principal

Produzindo água reutilizável para o desenvolvimento dos vinhedos da Baixa Califórnia

90% da produção de vinho no México vem da Baixa Califórnia, gerando 7 mil empregos indiretos e 43 milhões de dólares em vendas. Porém, esta atividade se viu em perigo devido aos 40 meses de seca contínuos que a região do Valle de Guadalupe sofreu, onde alcançou uma extração de 42 Hm3/ano por uma recarga de 23 Hm3/ano.
Missão
Em 2010, um pequeno comitê de produtores de vinho aproximou-se da Comissão Estadual de Serviços Públicos de Tijuana ( CESPT) para aprender sobre a reutilização da água.
Em 2012, a CESPT escolheu a Planta de Tratamento de Águas Residuais “La Morita” para desenvolver um vinhedo experimental que seria irrigado com água tratada da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE). Foram plantadas 800 videiras de Cabernet Sauvignon e 28 pés de oliveira para proteger as videiras.
22
%
do custo total de produção vinícola é da irrigação
18.93
m³/ano
de água para irrigar 1 hectare
80
videiras
de Cabernet Sauvignon foram plantadas para o vinhedo experimental
Nossa Solução

Qualidade da água de irrigação

Foram testados três métodos de irrigação: por gotejamento, por orvalho e por inundação, instalando mais de 1.000 metros de tubulações para a irrigação.

 

Foram realizadas 3.500 análises, mediante as quais se avaliou a qualidade atual dos poços de água doce utilizados para irrigação, a qualidade da água recuperada da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), os efeitos da água tratada da ETE sobre as características da uva, o desenvolvimento da fruta e a folhagem.  Após realizar um comparativo entre os resultados obtidos das análises da água doce dos poços e da águatratada, os resultados mostraram um alto índice de sais, enquanto a concentração de metal, pesticidas, compostos orgânicos e bifenilos policlorados (PCBs) foi muito similar entre si, além de estarem abaixo dos limites estabelecidos.

 

Um enólogo de renome, com mais de 40 anos de experiência, foi encarregado por estabelecer os critérios aplicados ao desenvolvimento das videiras e supervisionar a produção de uvas.
As uvas foram analisadas e se encontravam livres de metais pesados e patógenos.

Benefícios

O vinhedo de “La Morita” teve sua primeira colheita em 2013, mas decidiu-se esperar pelo menos 3 anos para produzir o vinho. As primeiras garrafas de vinho (1.600) foram produzidas em 2015. A quantidade de garrafas produzidas em 2016 foi de 650, já que o propósito do projeto é demonstrativo, e não comercial.

 

Os benefícios de levar a água tratada produzida pela ETE de La Morita até o Valle de Guadalupe incluem a irrigação de 5.000 hectares e a criação de 500 empregos diretos na região.

 

Mesmo quando a chuva voltou à Califórnia e à Baixa Califórnia, os cientistas confirmaram que as reservas levarão anos para se recuperar, porque a água tratada de “La Morita” representa uma fonte alternativa de água e um salva-vidas para os pequenos produtores de vinho que não podem financiar outra fonte de recursos hídricos.

5 000
hectares
irrigados
500
empregos diretos criados na região
2 250
garrafas
produzidas entre 2015 e 2016 para fins demonstrativos
Palavras mais buscadas
INÍCIO